Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

CONSULTÓRIO DO DOC

CONSULTÓRIO DO DOC

PETRO-DÓLARES

   

Um príncipe da Arábia Saudita foi estudar para a Alemanha.
Um mês depois escreveu uma carta ao pai a dizer :
-Berlim é espectacular, o povo muito simpático e estou a gostar de cá estar mas sinto-me um pouco constrangido por ir para a Universidade no meu Mercedes dourado quando os professores viajam de comboio!
Algum tempo depois recebeu a resposta do pai numa carta com um cheque de um milhão de dólares.
Na carta o pai dizia :
-Pára de nos embaraçares! Compra um comboio para ti também.

A Lili vai ao médico...!

 

A Lili Caneças vai ao médico para fazer um tratamento revolucionário anti-rugas (mais um):

- A sra. só terá de colocar um parafuso no topo da cabeça, escondido no couro cabeludo. Sempre que aparecerem rugas basta girar o parafuso que a sua pele é puxada para cima e as rugas desaparecem. Quer experimentar?
 
- Claro, Dr. Isso parece o máximo!

Seis meses depois volta para uma consulta:

- Dr., essa técnica do parafuso é óptima, fantástica, mas  apareceram-me estes papos por baixo dos olhos!

- Minha Sra. esses papos são as mamas. E se não deixar o parafuso quieto, daqui a 15 dias vai ter barba!

NOVO CONTRACEPTIVO

  

 

Cientistas japoneses garantem que espremer um pouco de limão dentro da vagina, antes do sexo, pode matar os espermatozóides, tornando-se um contraceptivo barato e simples.
Assim, juntando o útil ao agradável, adicione um pouco de açúcar, gelo e pinga na hora da relação sexual e, usando o pênis como socador, você terá um novo tipo de caipirinha:
A CAIPIXÓTA, CAIPIRÉCA ou CAIPICÊTA... os mais refinados dão-lhe o nome de CAIPIGINA.
 

Agora muita atenção...
 
SE CHUPAR, NÃO CONDUZA !!!!!!

PARA BURRO FALTAM-LHE AS ORELHAS

Um médico, queria DESCANSAR  e ir pescar. Então aproximou-se do seu assistente e disse-lhe:
- Carlos, amanhã vou caçar e não quero fechar a clínica. Acha que consegue cuidar dela e de todos os pacientes?
- Sim, senhor! – responde.
O médico foi pescar e voltou no dia seguinte.

- Então, Carlos, como correu o dia?
- Cuidei de três pacientes. O primeiro tinha uma dor de cabeça e, então, eu dei-lhe paracetamol.
- Bravo, meu rapaz .

- E o segundo? - perguntou o médico.
- O segundo teve indigestão e eu dei-lhe Guronsan.
- Bravo, bravo! Você é bom nisso… E o terceiro? - perguntou o médico.
- Bom, doutor, eu estava sentado aqui e, de repente, abriu-se a porta e entrou uma linda mulher. Ela arrancou a roupa, despiu tudo, incluindo o sutiã e  as cuequinhas. Depois deitou-se sobre a marquesa, abriu as pernas e gritou: «AJUDE-ME, pelo amor de Deus! Há cinco anos que eu não vejo homem!''
- Nossa Senhora, Carlos, o que  é que você fez? - perguntou o médico.
- Eu pus-lhe gotas de Visadron nos olhos, doutor!

A FREIRA E O TAXISTA

        

Uma freira faz sinal para um táxi parar.  Ela entra e o taxista não pára de olhar para ela.
- Por que você me olha assim? 
 Ele explica:
- Tenho uma coisa para lhe pedir, mas  não quero que fique ofendida...
Ela responde:
- Meu filho, sou freira há muito tempo e já vi e ouvi de tudo. Com certeza, não há nada que você possa me dizer ou pedir que eu ache ofensivo.
- Sabe, é que eu sempre tive na cabeça uma fantasia de ser beijado na boca por uma freira...
A freira:
- Bem, vamos ver o que é que eu posso fazer por você: primeiro, você tem que ser solteiro, belenenses e também católico.
O taxista fica entusiasmado:
- Sim, sou solteiro, do Belenenses desde criança e até sou católico também!
A freira olha pela janela do táxi e diz:
- Então, páre o carro ali na próxima travessa.
O carro pára na travessa e a freira satisfaz a velha fantasia do taxista com um belo beijo na boca. Mas, quando continuam para o destino, o taxista começa a chorar.
- Meu filho, diz a freira, porque estás a chorar?
- Perdoe-me Irmã, mas confesso que menti: sou casado, do SPORTING e sou protestante.
 

A freira conforta-o: 
 
 - Não faz mal. Eu também estou a caminho de um baile de máscaras,  chamo-me Alfredo... e sou do  SLB.

DIÁRIOS

   Diário dela:

No domingo a noite ele estava estranho.
Saímos e fomos até um bar para tomar uma cerveja.
A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo.
Fomos a um restaurante e ele ainda agindo de modo estranho. Perguntei o que era, e ele disse que nada, que não era eu... Mas não fiquei muito convencida.
No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e de toda sua importância na minha vida.
Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros.
Finalmente chegamos em casa e eu já estava pensando se ele iria me deixar!
Por isso tentei faze-lo falar, mas sem me dar muita bola ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós.
Por fim, embora relutante, disse que ia me deitar.
Mais ou menos 10 minutos ele veio se deitar também e, para minha surpresa correspondeu aos meus avanços, fizemos amor.
Mas depois ele ainda parecia muito distraído e adormeceu.
Comecei a chorar, chorei até adormecer. Já não sei o que fazer.
Tenho quase certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.


   
Diário dele:

O meu clube perdeu.
Fiquei chateado a noite toda.
Pelo menos dei umazinha.
Mas ainda estou chateado...
Clube de m*rda!

 

INVERSÃO DE VALORES

Carta enviada de uma mãe para outra mãe no Porto, após um noticiário na TV:

De mãe para mãe...

Vi o seu enérgico protesto diante das câmaras de televisão contra a transferência do seu filho, menor, infractor, das dependências da prisão de Custoias para outra dependência prisional em Lisboa.

Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter, para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela mesma transferência.
Vi também toda a cobertura que os média deram a este facto, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONG's, etc...

Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender o seu protesto. Quero, com ele, fazer coro. No entanto, como verá, também é enorme a distância que me separa do meu filho.
Trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo.
Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família. Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha, para mim, importante papel de amigo e conselheiro espiritual.

Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou cruelmente num assalto a um vídeo-clube, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.

No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias ao seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores na sua humilde campa rasa, num cemitério da periferia...

Ah! Já me ia esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranquila, pois eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá, na última rebelião de presidiários, onde ele se encontrava cumprindo pena por ser um criminoso.
No cemitério, ou na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante dessas 'Entidades' que tanto a confortam, para me dar uma só palavra de conforto, e talvez indicar quais "Os meus direitos".

Para terminar, ainda como mãe, peço "por favor":
Faça circular este manifesto! Talvez se consiga acabar com esta (falta de vergonha) inversão de valores que assola Portugal e não só...

Direitos humanos só deveriam ser para "humanos direitos" !!!

 
 

 

Pág. 1/3